Após polêmica, Fábio Pochart rebate acusações de apologia à pedofilia em filme

Após polêmica, Fábio Pochart rebate acusações de apologia à pedofilia em filme

Fábio Porchat se manifestou nesta segunda-feira (14) sobre a polêmica envolvendo sua participação no filme “como se tornar o pior aluno da escola” (2017).

O longa, baseado em livro de Danilo Gentili, entrou no catálogo da Netflix em fevereiro e chamou atenção nas redes sociais por uma cena que, segundo a deputada Carla Zambeli, “naturaliza a pedofilia”.

O secretário especial de cultural, Mario Frias, também comentou a polêmica e afirmou que a cena é uma “afronta às famílias” e que irá tomar medidas cabíveis para que as crianças não sejam “contaminadas por esse conteúdo sujo e imoral”.

por meio de nota o humorista afirma que “temas super pesados são tratados o tempo todo no audiovisual” e que vilões podem fazer “coisas horríveis”, uma vez que se trata de um papel ficcional”.

O humorista defendeu que colocar características “abomináveis” em vilões de filmes não é apologia ou incentivo, mas “o mundo perverso daquele personagem sendo revelado”. “O vilão é um personagem mau. Que faz coisas horríveis. O vilão pode ser um nazista, um racista, um pedófilo, um agressor, pode matar e torturar pessoas”, afirma Porchat em nota.

O ministro da Justiça Anderson Torres declarou, nesta segunda-feira (14) que “tomou conhecimento de detalhes asquerosos do filme” e que determinou à pasta que tome providências sobre o assunto.

 

 

 

Fonte: Blog Social 1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.