YouTube vai remover vídeos com fake news das eleições de 2018

YouTube vai remover vídeos com fake news das eleições de 2018

YouTube anunciou nesta terça-feira (22) uma atualização nas suas políticas eleitorais para combater Fake News nas eleições brasileiras. Entre as medidas estão a remoção de vídeos com conteúdos falsos sobre as eleições de 2018.

As mudanças acontecem após diversas críticas à falta de ações da plataforma no combate à desinformação eleitoral.

Segundo a plataforma, serão derrubados vídeos com “informações falsas sobre fraude generalizada, erros ou problemas técnicos que supostamente tenham alterado o resultado de eleições anteriores, após os resultados já terem sido oficialmente confirmados”.

Essa regra já havia sido adotada pelo YouTube para vídeos publicados após as eleições dos Estados Unidos, em 2020, e da Alemanha, em 2021. “Agora, ela será aplicada às eleições presidenciais brasileiras de 2018”, explica a empresa.

A plataforma também proíbe vídeos que tenham o objetivo de enganar eleitores sobre a hora, o local, os meios ou requisitos necessários para votar, bem como os que incluem informações que possam fazer as pessoas desistirem de ir às urnas.

As regras do YouTube impedem ainda vídeos que incluem informações falsas sobre inelegibilidade de candidatos ou que incitem o público a impedir ou atrapalhar quem está tentando votar.

A plataforma também avaliará denúncias de usuários e do TSE e instituições parceiras da plataforma. Os usuários que tiverem vídeos removidos podem recorrer.

Além disso, os usuários que fizerem buscas de vídeos relacionados à eleição ou urnas eletrônicas, a plataforma irá mostrar painéis com informações oficiais do TSE, com fontes confiáveis nas pesquisas e na área de vídeos relacionados. A ideia, segundo a plataforma, é limitar a disseminação de vídeos enganosos ou que estejam no limite de respeito às suas regras.

 

 

Fonte: G1

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.